Skip to main content

Bhagavad-gītā 6.11-12

Devanagari

शुचौ देशे प्रतिष्ठाप्य स्थिरमासनमात्मनः ।
नात्युच्छ्रितं नातिनीचं चैलाजिनकुशोत्तरम् ॥ ६.११ ॥
तत्रैकाग्रं मनः कृत्वा यतचित्तेन्द्रियक्रियः ।
उपविश्यासने युञ्ज्याद्योगमात्मविशुद्धये ॥ ६.१२ ॥

Texto

śucau deśe pratiṣṭhāpya
sthiram āsanam ātmanaḥ
nāty-ucchritaṁ nāti-nīcaṁ
cailājina-kuśottaram
tatraikāgraṁ manaḥ kṛtvā
yata-cittendriya-kriyaḥ
upaviśyāsane yuñjyād
yogam ātma-viśuddhaye

Synonyms

śucau—numa santificada; deśe—terra; pratiṣṭhāpya—colocando; sthiram—firme; āsanam—assento; ātmanaḥ—seu próprio; na—não; ati—muito; ucchritam—alto; na—nem; ati—muito; nīcam—baixo; caila-ajina—de pano macio e pele de veado; kuśa—e grama kuśa; uttaram—cobertura; tatra—então; eka-agram—com uma só atenção; manaḥ—mente; kṛtvā—fazendo; yata-citta—controlando a mente; indriya—sentidos; kriyaḥ—e atividades; upaviśya—sentando-se; āsane—no assento; yuñjyāt—deve executar; yogam—a prática de yoga; ātma—o coração; viśuddhaye—para aclarar.

Translation

Para praticar yoga, é necessário dirigir-se a um lugar isolado e forrar o chão com grama kuśa, e depois, cobri-la com a pele de um veado e um pano macio. O assento não deve ser nem muito alto nem muito baixo e deve estar situado num lugar sagrado. O yogī deve então sentar-se nele mui firmemente e praticar yoga para purificar o coração, controlando a mente, os sentidos e as atividades, e fixando a mente num único ponto.

Purport

“Lugar sagrado” refere-se a lugares de peregrinação. Na Índia — os yogīs, os transcendentalistas ou os devotos — todos deixam o lar e residem em lugares sagrados, tais como Prayāga, Mathurā, Vṛndāvana, Hṛṣīkeśa e Hardwar e em solidão praticam yoga onde correm rios sagrados como o Yamunā e o Ganges. Mas muitas vezes isto não é possível, especialmente para os ocidentais. As supostas sociedades de yoga das grandes cidades talvez consigam um bom rendimento material, mas elas não são nada adequadas para a verdadeira prática de yoga. Quem não é autocontrolado e não tem uma mente tranqüila, não pode praticar meditação. Por isso, no Bṛhan-nāradīya Purāṇa afirma-se que em Kali-yuga (a atual yuga, ou era), quando as pessoas em geral vivem pouco, demoram muito a compreender o que é vida espiritual e estão sempre perturbadas por várias ansiedades, o melhor meio de obter compreensão espiritual é cantar o santo nome do Senhor.

harer nāma harer nāma
harer nāmaiva kevalam
kalau nāsty eva nāsty eva
nāsty eva gatir anyathā

“Nesta era de desavenças e hipocrisia, o único meio de liberação é cantar o santo nome do Senhor. Não há outra maneira. Não há outra maneira. Não há outra maneira.”