Skip to main content

4. Incasto Sistema de Castas

Discípulo: A próxima pergunta, Śrīla Prabhupāda, é a seguinte: “Os valores fundamentais da religião védica serão de alguma maneira afetados em virtude da erradicação do sistema de castas, em direção ao que um esforço combinado, em todos os níveis, está sendo feito?”.

Śrīla Prabhupāda: O sistema religioso védico que estamos descrevendo – o sistema varṇāśrama, criado por Kṛṣṇa – não deve ser confundido com o atual sistema de castas, caracterizado pela determinação das divisões sociais mediante o nascimento. A erradicação de todas as divisões sociais, porém, jamais acontecerá. Isso é ainda mais tolice, por­que o próprio Kṛṣṇa diz que cātur-varṇyaṁ mayā sṛṣtaṁ guṇa-­karma-vibhāgaśaḥ (Bhagavad-gītā 4.13): “Este sistema de quatro divisões sociais, segundo a qualidade e o trabalho, foi instituído por Mim”. A dificuldade é que surgiu o dito sistema de castas em virtude da falsa noção de que, para ser brāhmaṇa, é necessário ser filho de brāhmaṇa. Assim é o sistema de castas, mas Kṛṣṇa não diz isso, senão que diz: “Segundo a qualidade e o trabalho”. Ele jamais diz: “Segundo o nascimento”. Destarte, o assim chamado sistema de castas da Índia é uma falsa concepção de cātur-varṇyaṁ, o sistema de quatro divisões sociais. O verdadeiro sistema de cātur-varṇyaṁ se refere a guṇa karma­-vibhāgaśaḥ, isto é, determinação das quatro divisões sociais segundo a qualidade e o trabalho. É necessário qualificar­-se.

E como alguém se torna qualificado? Isto também está descrito. No Bhagavad-gītā (18.42), por exemplo, Kṛṣṇa descreve as qualidades de um brāhmaṇa da seguinte maneira, śamo damas tapaḥ śaucaṁ kṣāntir ārjavam eva ca jñānaṁ vijñānam āstikyam: “Tranquilidade, auto­controle, austeridade, pureza, tolerância, honestidade, conhecimento, sabedoria e religiosidade”. Então, quem deseja tornar-­se brāhmaṇa deve receber educação para adquirir essas qualidades. Não basta apenas abolir o sistema de castas, que está contaminado pela concepção errônea de qualificação através do direito de nascimento. Certamente se deve abolir esse equivocado sistema de castas, mas, além disso, devem­-se abrir centros educacionais para ensinar as pessoas a tornarem­-se brāhmaṇas e kṣatriyas genuínos. Guṇa-karma­-vibhāgaśaḥ (Bhagavad-gītā 4.13): De acordo com suas qualidades e trabalho, as pessoas naturalmente pertencem a grupos sociais diferentes, devido ao que não se pode evitá-lo, mas, porque foi criado um falso sistema de castas, este deve ser abolido, e o sistema recomendado por Kṛṣṇa deve ser adotado.

De qualquer modo, não se pode evitar o aparecimento natural de diversas divisões sociais. O natural sistema de castas permanecerá. Tomemos, por exemplo, a qualidade bramânica da veracidade. No mundo inteiro, aonde quer que formos, encontraremos ao menos uma pessoa veraz. Alguém dirá: “Oh! Seu pai era veraz”, mas isso quer dizer que o filho é veraz? Isso é absurdo. Kṛṣṇa jamais diz algo assim. O pai tal­vez seja Hiraṇyakaśipu, um grande demônio, mas seu filho, ainda assim, pode ser Prahlāda, um ilustre devoto do Senhor. Não é fato que a pessoa inevitavelmente se tornará como o pai. É claro que existe toda a possibilidade de que isso aconteça, mas não é fato que o filho terá de ser como o pai.

Nosso ponto é que, aonde quer que formos, encontraremos uma pessoa de primeira classe que é veraz. Então, aonde quer que encontremos uma pessoa veraz, podemos classificá-la como brāhmaṇa e treiná-la para servir o corpo social com esta capacidade, como um preceptor e conselheiro espiritual. Isso é necessário. Por que fazer esta consideração: “Eis o filho de uma pessoa veraz, o qual, portanto, é veraz, um brāhmaṇa”? Essa é uma concepção errônea. Devemos encontrar os homens verazes do mundo inteiro e treiná-los como brāhmaṇas, e é isso o que fazemos. “Quem segue estes princípios –­ abstenção de sexo ilícito, intoxicação, jogos de azar e consumo de carne – é um brāhmaṇa. Venha e receba mais treinamento”. O pai do indivíduo pode ser comedor de carne ou praticante de jogos de azar ou alcoólatra, mas, se o indivíduo é veraz e concorda em seguir a vida bramânica, devemos dizer a ele: “Tudo bem, venha, pois você é bem-­vindo”. Tudo, então, estará bem.

Você não poderia acabar com a classe de homens verazes mesmo se quisesse, porquanto você encontrará pessoas verazes em todo lugar. Apenas é necessário treiná-las. Kṛṣṇa, devido a isso, diz que cātur-varṇyaṁ mayā sṛṣṭaṁ guṇa-karma-vibhāgaśaḥ: De acordo com suas qualidades e trabalho, certas pessoas devem se situar na classe bramânica; outras, na classe kṣatriya; algumas outras, na classe vaiśya; e o restante na classe śūdra. Mas não é possível abolir esse sistema, senão que tentar fazê-lo é mera farsa.

Discípulo: O senhor está dizendo que o sistema natural é classificar a pessoa e treiná-la para um dever específico segundo suas qualidades internas específicas e sua propensão ao trabalho?

Śrīla Prabhupāda: Sim. A existência dessa qualificação é necessária.

Discípulo: E qual será o benefício de classificar e treinar as pessoas de acordo com suas próprias qualidades e propensões?

Śrīla Prabhupāda: O benefício será que todo o corpo social funcionará em harmonia. O corpo social deve ter um cérebro, braços, estômago e pernas para ser completo. Se não há cérebro, nem cabeça, qual é, então, a utilidade dos braços, pernas e estômago? Está tudo morto. Da mesma forma, caso não haja na sociedade humana uma classe de homens eruditos, verazes e honestos – homens com todas as qualificações bramânicas –, a sociedade está arruinada. É em razão disso que as pessoas estão perplexas. Atualmente, quase todos são treinados para serem śūdras, trabalhadores braçais: “Vão para as fábricas”, e não há nada além disso. “Vão para as fábricas e ganhem dinheiro”, e, ao ganharem dinheiro, eles imediatamente gastam com vinhos e mulheres. Se você tentar instituir uma sociedade sem classes, criará pessoas desse gênero – pessoas inúteis e perturbadoras para o corpo social. Você não pode instituir uma sociedade sem classes, ou então todas as pessoas naturalmente serão śūdras, pessoas de quarta classe, ou mesmo piores do que isso. Haverá, deste modo, caos social.

Discípulo: Mas todos podem ter igual interesse por religião, apesar de pertencerem a classificações sociais diferentes?

Śrīla Prabhupāda: Sim. Já expliquei isso. Todo ser humano civilizado deve ter alguma religião, e os princípios básicos da religião são as declarações feitas por Deus. No sistema védico, encontramos o que Deus diz. Se você aceitar esse sistema, o corpo social será perfeito, não apenas para os hindus, mas também para os cristãos, muçulmanos e todos. E podemos ver isso na prática em nosso movimento da consciência de Kṛṣṇa. Temos devotos provenientes de todos os grupos da sociedade humana, e eles estão aceitando o sistema védico. É algo prático que não há dificuldades. Portanto, hindus, muçulmanos e cristãos devem todos aceitar esta religião de Kṛṣṇa e se tornarem “kṛṣṇaístas”, “kṛṣṇãos”. (risos) A palavra grega “cristo” tem sua origem no sânscrito kṛṣṇa. Na verdade, uma variante da palavra kṛṣṇa é kṛṣṭa. Portanto, se aceitamos o significado original, “cristão” significa “kṛṣṭão” ou “kṛṣṇão”. Este é um ponto controverso, mas todos podem aceitar Kṛṣṇa, de modo que tudo se estabelecerá.